É possível fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

  • 794 Views

É possível fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

Uma das dúvidas mais comuns é se existe a opção de fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde ou não. Por isso, para te ajudar a entender um pouco mais sobre o assunto, trouxemos algumas informações essenciais sobre o tema. Confira a seguir:

Cirurgia bariátrica: o que é?

A cirurgia bariátrica consiste em um procedimento cirúrgico que modifica seu estômago associado ou não a alterações no intestino que fazem você perder peso. Sua principal recomendação é para pessoas com obesidade, que tentaram outro tipo de tratamento anteriormente para perda de peso e não tiveram sucesso e que estão evoluindo com complicações de saúde.

O Brasil é o segundo país em todo o mundo que mais faz esse tipo de procedimento, ficando atrás apenas dos Estados Unidades. É válido lembrar, a evolução da técnica que tornou os procedimentos mais seguros tem aumentado a sua procura já há alguns anos.

O número de cirurgias realizadas para reduzir o estômago no Brasil cresceu mais de  80% entre os anos de 2011 a 2018 e mais de 63 mil procedimentos como esse realizados no ano de 2018 foram em cirurgia bariátrica pelo plano de saúde.

É possível fazer cirurgia bariátrica pelo plano de saúde?

A cirurgia bariátrica pelo plano de saúde está no rol de procedimentos obrigatórios Agência Nacional de Saúde (ANS), e com isso, todos os planos de saúde são obrigados a ter esse tipo de cobertura para os pacientes.

Mas, existem algumas condições que podem qualificar o paciente ou não, pois a finalidade da realização desse procedimento não é estética.

Indicações para a realização da cirurgia bariátrica

Para fazer a cirurgia bariátrica pelo plano de saúde, é preciso que o paciente esteja atento a alguns critérios, como ter idade entre 18 e 65 anos, ter feito pelo menos um tratamento clínico durante dois anos sem resultado e ter obesidade mórbida há mais de 5 anos.

Além desses requisitos, os pacientes também precisam ter IMC entre 35 a 39,9 com comorbidades como diabetes, dislipidemia, hipertensão e outras, ter IMC entre 40 e 50 independente de apresentar ou não comorbidades, ou  IMC igual ou maior do que 50 Kg/m2.

São critérios de contraindicação da bariátrica:

Quadro de transtorno psiquiátrico não controlado, incluindo uso de álcool ou drogas ilícitas; limitação intelectual significativa em pacientes sem suporte familiar adequado; doença cardiopulmonar grave e descompensada que influenciem a relação risco benefício; hipertensão portal, com varizes esofagogástricas; doenças imunológicas ou inflamatórias do trato digestivo superior que venham a predispor o indivíduo a sangramento digestivo; outras condições de risco como síndrome de Cushing decorrente de hiperplasia na suprerrenal não tratada e tumores endócrinos.

Para calcular o IMC do paciente, é preciso usar o peso e a altura e então estar dentro da classificação que recebe indicação cirúrgica.

Quais os tipos de cirurgias bariátricas que o plano de saúde cobre?

Segundo a ANS e suas diretrizes, existem tipos de cirurgia bariátrica pelo plano de saúde que podem ser oferecidos, de acordo com os critérios de atendimento do paciente. Acompanhe a seguir quais são:

Bypass

Essa é uma das técnicas possíveis de cirurgia bariátrica pelo plano de saúde, e consiste na redução do estômago, incluindo também uma alteração no intestino dos pacientes, que é reconectado à parte do estômago que foi reduzida.

Essa cirurgia deve ser feita por laparoscopia, que consiste em fazer pequenas incisões  (0,5 a 1,2cm) na parte abdominal e utilizar uma câmera e pinças específicas para o procedimento. Quando não se tem os equipamentos adequados pode ser feita com um corte de 30 cm aproximadamente.

Nessa técnica de cirurgia bariátrica, o paciente pode perder cerca de 70 a 80% do excesso de peso.

Banda gástrica

O procedimento de colocação da banda gástrica consiste em uma prótese de silicone que funciona como um cinto ajustável, que é colocada ao redor do estômago do paciente. Assim, é possível deixá-lo com um tamanho menor e também em um formato parecido com o de uma ampulheta.

O aparelho é ligado diretamente a um tubo, fazendo com que ele possa ser ajustado. Esse método é uma cirurgia bariátrica que não é mais realizada pela perda de peso mínima que ela proporciona e por suas complicações.

Gastrectomia vertical ou Sleeve

Nesse tipo de cirurgia bariátrica pelo plano de saúde, o procedimento também é por videolaparoscopia, e excepcionalmente por corte onde o médico retira 75 a 80% do estômago através de um grampeamento realizado na vertical.

É possível perder 60 a 70% do excesso de peso com essa técnica, e diferente do bypass, não interfere na ligação que o estômago possui com o intestino, fazendo com que seja uma opção menos invasiva.

Duodenal Switch

Essa também é uma opção de cirurgia bariátrica pelo plano. É uma cirurgia bem mais complexa e com maior área de exclusão

Exatamente por ser mais complexa e excluir uma área de estômago num maior desvio no intestino gerou maiores problemas nutricionais e metabólicos e de uso extremamente restrito.

A obesidade é uma doença considerada progressiva e crônica, ou seja, ela não pode ser tida como uma doença curada quando o paciente está no seu peso normal, e sim requer um monitoramento constante para o resto da vida do paciente.

O acompanhamento com profissionais deve permanecer, para evitar que os problemas de saúde retornem.

O Hospital São Camilo Fortaleza atende pelos seguintes planos;

Unimed

Bradesco Saude

Caixa

Cassi

Cafaz

Camed

Consulte um especialista no São Camilo Fortaleza, agende uma consulta e saiba mais sobre o assunto!

Para continuar se informando sobre esses e outros temas relacionados à saúde, acesse nosso blog.