logo

Está com muita dor no ombro? Descubra o que é Tendinopatia

  • 61 Views

Dores em tendões e inflamações em articulações costumam ser bem incômodas podendo causar dores e outras consequências. Neste texto você vai entender o que é Tendinopatia, suas causas e consequências.

Também conhecida como síndrome do ombro doloroso, atinge tanto homens e mulheres, podendo atingir pessoas de qualquer idade.

Tendinopatia é uma dor localizada nas articulações da região do ombro e que é causada por inflamações, veja as principais causas e modos de evitar o seu surgimento.

Você pode se interessar também por estes textos:

Veja o que é e como aliviar a Lombalgia.

Confira respostas para as dúvidas frequentes sobre Trombose venosa profunda.

O que é Tendinopatia

Trata-se de uma patologia do ombro ligada a lesão de um tendão que conecta o músculo e estrutura óssea, ocorrendo geralmente na junta entre músculo e osso.

A tendinopatia supraespinhal é caracterizada por uma dor muito forte no ombro causada geralmente por lesões em tendões sendo relacionada com inflamações locais, sofre-se com dores e rompimento muscular.

Bastante comum em atletas e pessoas que fazem exercícios em excesso ou movimentos repetitivos, sendo frequente em trabalhadores que movem o abdutor do ombro por várias vezes dentro da jornada de trabalho, causando atrito ou compreensão do tendão ao osso.

Formados por tecido conjuntivo fibroso, tendões são estruturas elásticas em forma de cordão apresentando cor e aspecto esbranquiçado. Tendões ligam músculos aos ossos e possuem especial função para possibilitar a movimentação, por tal razão as dores estão ligadas ao movimento e ao exercício físico.

Tem como principal causa a inflamação do supraespinhoso, localizado no ombro na face dorsal superior. Composto por quatro músculos, conhecidos como manguito rotador, é responsável pela rotação do ombro.

Também é ligada à cabeça do úmero, o maior osso do membro superior.

Afetando ambos gêneros e todas as idades, mas é mais comum em pessoas com mais de 45 anos.

Diferença de Tendinopatia e Tendinite

Apesar de serem palavras parecidas e terem conceitos semelhantes, na prática são diferentes. Em geral a tendinopatia é a dor crônica nos tendões, enquanto a tendinite é causada por inflamações agudas.

Porém na prática sua classificação é totalmente teórica e não possui relevância para o tratamento do paciente.

Principais sintomas da tendinopatia

O principal sintoma da tendinopatia é a dor localizada no ombro, na região posterior e superior, podendo dificultar movimentos de rotação e elevação do ombro e desenvolvimento de tarefas com o aumento gradual da dor.

Com dor lateral, frontal e atrás do ombro, pode ser sentida ainda no braço, devido a compensação muscular. Pode ser sentida dor ao apalpar o ombro e braços, mesmo que imóvel, aumentando ao levantar o braço.

Ainda pode causar alterações no sono, devido à presença de dores à noite, principalmente se afetada a posição que se costuma dormir.

Tendinopatias mais comuns

Conectando ossos aos músculos para possibilitar a movimentação corporal, os tendões estão espalhados pelo corpo todo. Regiões que fazem movimentos repetitivos ou que sofrem com sobrecarga são as que mais possuem problemas como tendinopatia.

Por exemplo:

  • Punho
  • Ombro
  • Cotovelo
  • Tornozelo
  • Joelho

Veja algumas tendinites mais comuns:

  • Tendinite patelar: região anterior do joelho
  • Tendinite de Aquiles: entre o calcanhar e tornozelo
  • Tendinite do Manguito Rotador: localizado no ombro, conhecida como “ombro de tenista”
  • Epicondilite Medial ou Lateral: na região do cotovelo, denominada de “cotovelo de golfista”

Conheça as principais causas de tendinopatia.

Principais causas de Tendinopatia

Existem diversas causas que podem levar as dores crônicas nos ombros, existindo fatores extrínsecos e intrínsecos.

A cicatrização dos tendões são causadas por modificações celulares e extracelulares causando alterações biológicas e estruturais contribuindo para o surgimento de tendinopatia.

Ainda apresenta inchaço, vermelhidão e aumento da temperatura no local, bem como diminuição da força do ombro.

A tendinopatia possui duas explicações: mecânica e vascular.

Enquanto a mecânica é causada pelo atrito, esforço repetitivo e compreensão do tendão, a vascular ocorre quando há deficiência na distribuição de sangue para o tendão, enfraquecendo o tecido conjuntivo fibroso.

Por estar enfraquecido o tendão fica mais suscetível a rompimentos e lesões.

De forma anatômica a tendinopatia se explica pelo impacto direto ou atrito com o acrômio, proeminência óssea da escápula, localizada na parte superior do ombro, se prendendo ao músculo deltoide e acima do manguito rotador.

Veja as principais causas da tendinopatia:

  • Artrite reumatoide
  • Esporão ósseo
  • Quedas
  • Fatores antecessores
  • Carregamentos de peso

A lesão por quedas é muito comum em acidentes domésticos envolvendo pessoas idosas, mas também pode acontecer com atletas, principalmente os de jogos violentos.

O carregamento de peso pode causar tendinites, especialmente quando sobrecarregando o ombro de forma unilateral.

Já atletas que costumam apresentar lesões nas fibras do tendão pode, após a recuperação, pode apresentar anos mais tarde dores na região, formando um tecido cicatricial enfraquecendo o tendão e suscetível à inflamação.

O diagnóstico são feitas a partir de perguntas simples sobre a vida do paciente, mas pode ser confirmado através de exames, como o raio-X.

Fatores de risco para Tendinopatia

Alguns quadros clínicos podem aumentar a probabilidade para o desenvolvimento de tendinopatia.

Alguns deles são:

  • Sedentarismo
  • Envelhecimento
  • Sobrecarga nos tendões
  • Falta de fortalecimento
  • Diabetes
  • Sobrepeso
  • Movimentos repetitivos
  • Esportes como tênis, basquete, corrida, vôlei, entre outros
  • Postura inadequada

Uma vida saudável em geral e alongamentos antes da prática de esportes ajuda para evitar o surgimento de tendinopatia.

Tratamento da tendinopatia

Veja como se livrar das dores no ombro.

Antes de iniciado o tratamento são receitados medicamente, como analgésicos e anti-inflamatórios, que aliviarão a dor e controlarão a inflamação. A depender do caso, onde a dor é intensa, pode ser utilizadas injeções de costisona e/ou anestésico diretamente no local.

O primeiro objetivo do tratamento é obter a correta cicatrização do tecido dos tendões, sendo recomendado prevenção de atividades agravantes e o devido repouso.

Em um segundo momento, são corrigidas anormalidades mecânicas que possam ter contribuído para a presença da lesão.

Em um terceiro passo, é promovido o fortalecimento dos tendões para obter a adequada cura.

Por fim, como quarto passo é iniciado um programa de manutenção de flexibilidade para evitar novas lesões e fortalecer o condicionamento aeróbico.

Entre em contato para saber mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.